Depoimento de Layza Elisa – #estudecomoumagarota

Hoje vamos com a série #estudecomoumagarota. Contaremos a história de @layzaeliza. Após ler esse depoimento, você vai começar a semana motivado! Vamos nessa?⠀

“Olá, meu nome é Layza Eliza e fiquei muito feliz em poder compartilhar um pouquinho da minha trajetória de estudos para concursos.⠀

Desde a faculdade sempre pensei em prestar concurso público, mas os estudos direcionados só vieram a acontecer depois de formada. Terminei o curso de Direito na UFPB em 2014 e, nessa época, confesso que minha maior preocupação era com meu casamento e com a mudança de cidade, já que iria acompanhar meu esposo que havia sido aprovado em um concurso. Acabou que essa variação de rotina, aliado ao fato de que morei em quatro cidades em um único ano, fez com que eu não conseguisse manter uma rotina de estudos séria.⠀

Durante esse tempo prestei algumas provas de concurso, mas percebi que não dava para ficar enrolando. Como tinha o privilégio de “só” estudar, era necessário fazer do meu estudo o meu trabalho. Assim, todos os dias (de segunda a sábado de manhã), disposta ou indisposta, eu ia para a biblioteca, mesmo que fosse para ficar olhando o teto, mas sabia que um minuto, ao menos, eu iria estudar.⠀

Esse período de estudos para concursos é realmente cansativo e solitário, eu sempre acreditei que para Deus nada é impossível, mas tive muitos momentos em que duvidei da minha capacidade de passar em um concurso público.⠀

A forma de estudar acho que é muito pessoal, mas depois que comecei a ler informativos de jurisprudência, ler a lei seca, especialmente a Constituição, e a fazer questões de provas, senti uma melhora nos resultados.⠀

Meu estudo era voltado para as carreiras da AGU, mas sempre fiz muitos outros, reprovei incontáveis, e aos poucos fui me vendo bem classificada em alguns concursos restritos ao DF (onde moro) que me deram ânimo para continuar.

Até que sai o concurso da DPU e resolvi fazer apenas para ter mais uma experiência, porque eram tantas matérias que nunca vi na vida que sabia que não ia dar.⠀

Eram muitos os candidatos, mas essa não era minha maior preocupação, sempre pensei que eu era a minha concorrência.⠀

Apesar de não ter estudado todas as matérias, fui aprovada na prova objetiva da DPU. (Então, mesmo que você ache que não sabe nada, não deixe de fazer a prova.)⠀

Fui fazer a prova subjetiva feliz da vida por estar ali, foi um momento exaustivo, mas muito gratificante. Quando cheguei para a prova subjetiva, encontrei minha cadeira e tinha a imagem de Jesus em cima de mim (fiz prova na Legião da Boa Vontade), então tive a certeza de que Ele faria o que fosse melhor.⠀

Depois descobri que estava aprovada para a oral e logo veio o desespero, pois pensava que seria ali que os examinadores iam ver que eu não estava preparada.⠀

Esse período de prova oral foi o mais tenso para mim, chorava em todos os treinos, mas treinei todos os dias. E, finalmente, consegui fazer uma boa prova até que veio a aprovação. Não escolhi estudar para essa carreira, mas como dizem: é a carreira que escolhe você. Estou aguardando a minha nomeação no desejo de dar o meu melhor e de servir ao público.⠀

Após o concurso da DPU, fiz o concurso de analista do STJ, no qual fui aprovada e onde trabalho atualmente. Isso me mostrou também que não existe hierarquia entre provas de concursos. Então só digo que faça! ⠀

Faça todas as provas que puder, mas sem se frustrar com o resultado, tudo é aprendizado, e confie no seu potencial.”⠀

Por @layzaeliza. #estudecomoumagarota

Incrível a história de Layza, não é? 😍 O que você achou? comenta com a gente! 🗣⠀

Boa semana de estudo, pessoal

Comentar via Facebook

Compartilhar